27 de setembro de 2014

Metrô de SP contrata seguranças para vigiar botões de emergência

Compartilhe

Mecanismo deve ser acionado se alguém cai nos trilhos, por exemplo, já que corta a eletricidade que passa ao lado da via

 O metrô paulistano contratou seguranças particulares para tomar conta dos botões e telefones de emergência das plataformas das suas estações.

 Esse mecanismo deve ser acionado se alguém cai nos trilhos, por exemplo, já que corta a eletricidade que passa ao lado da via.

 Desde a semana passada, no entanto, nas maiores estações da rede, como a Sé e a Paraíso, é possível observar guardas ao lado das cabines onde esses equipamentos estão instalados, para impedir a aproximação das pessoas.

 O Sindicato dos Metroviários critica a medida e diz que os terceirizados só vão ficar ali até o dia 5 de outubro, data do primeiro turno das eleições, para evitar possíveis "tumultos". O Metrô nega.

 Ao tentar chegar perto do botão e do telefone, que são parte do chamado Sistema de Prevenção de Acidentes em Plataformas (SPAP), o usuário é informado de que não pode passar dos vigias.

 Desde a noite de quinta-feira, 25, a reportagem observou seguranças em pé ao lado das cabines em seis estações das Linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-vermelha.

 Eles pertencem a duas empresas particulares, a G4S Vanguarda e a Açoforte, contratadas pelo Metrô.

 O valor do serviço foi questionado pela reportagem, mas a assessoria de imprensa do Metrô, que é controlado pelo governo do Estado, omitiu essa informação.

 No início de fevereiro, os botões do SPAP ganharam destaque na mídia pois três deles foram os responsáveis pela paralisação parcial da Linha 3-Vermelha durante cinco horas, levando caos ao sistema.

 O secretário estadual dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, disse, na época, que o mecanismo foi acionado por pessoas desautorizadas -- ele chegou a chamá-las de "safados".

 O próprio governador Geraldo Alckmin (PSDB), que concorre à reeleição, falou em "sabotagem".

 Porém, o Estado revelou que os próprios funcionários do Metrô foram os responsáveis pelo acionamento, para evitar choques, já que várias pessoas invadiram os trilhos depois que um trem ficou mais de 20 minutos parado no túnel.

 O presidente do Sindicato dos Metroviários, Altino de Melo Prazeres Júnior, disse nesta sexta-feira, 26, que os botões do SPAP foram feitos para serem acionados em caso de emergência, inclusive por pessoas comuns.

 "O botão foi feito para isso, senão não existiria. Se a empresa não quer, então põe um lacre lá, um cadeado, fecha tudo. Mas aí não vai ser um botão de emergência."

 Prazeres Júnior afirmou ainda que funcionários do Metrô descobriram que os vigias só vão ficar ao lado dos botões até o fim das eleições.

 "Então, só consigo imaginar que o governo está preocupado com o tema das eleições, em si. Se alguém tiver que acionar o botão por um problema de segurança, ele vai ser acionado, porque esse é o correto. A pior hipótese é se alguém cair na via, o funcionário vai apertar e o vigia terceirizado não deixar."

 De manhã, a reportagem conversou com três vigias, sem se identificar. Eles disseram que o contrato é temporário (sem informar o prazo) e que sua função exclusiva nas estações é vigiar os botões do SPAP.

 Alguns desses seguranças foram vistos ouvindo música em aparelhos MP3.

 Outro lado

 Por meio de nota, a assessoria de imprensa do Metrô informou que "os vigilantes são alocados em algumas estações do Metrô, de acordo com as necessidades e não do calendário eleitoral".

 Além disso, a empresa alegou que as duas empresas de segurança privadas citadas, assim como outras, "já possuem contrato para serviços de vigilância patrimonial em várias instalações do Metrô, como prédios administrativos, pátios de manutenção, estações e terminais urbanos".

 O Metrô, contudo, não responde por que os seguranças começaram a ficar do lado dos botões de emergência, vigiando-os.

 O Metrô tampouco informou quantos seguranças foram contratados para essa função, assim como o prazo para eles saírem das plataformas.

 Caio do Valle, do 

26 de setembro de 2014

Obras alteram circulação nas linhas da CPTM

Compartilhe
Neste fim de semana, 27 e 28 de setembro, a CPTM [Companhia Paulista de Trens Metropolitanos] prosseguirá com as atividades de implantação de obras e serviços de manutenção em suas linhas. Por isso, os trens circularão com maiores intervalos em trechos e horários específicos. Confira a programação e antecipe sua viagem:

Linha 7-Rubi [Luz - Francisco Morato - Jundiaí]

Domingo: das 4h até meia-noite, a circulação ficará interrompida entre as estações Palmeiras-Barra Funda e Perus, em razão de obras no sistema de rede aérea e nos equipamentos de via permanente. Para atender aos usuários, serão disponibilizados ônibus de conexão entre as estações Palmeiras-Barra Funda e Perus, com parada na Estação Pirituba para embarque e desembarque. As senhas para utilização dos ônibus de conexão deverão ser retiradas nas estações. O intervalo médio será de ¬¬21 minutos entre Luz e Palmeiras-Barra Funda e de 30 minutos entre Perus e Jundiaí.

Linha 9-Esmeralda [Osasco - Grajaú]

Domingo: das 9h às 19h, ocorrerá intervenções nos equipamentos que compõe o sistema de comunicação e nos equipamentos de via permanente entre as estações Ceasa e Villa Lobos-Jaguaré. O intervalo será de 18 minutos em toda a linha.

Linha 10-Turquesa [Brás - Rio Grande da Serra]

Domingo: das 8h às 16h, será realizada manutenção nos equipamentos de via permanente entre as estações Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. O intervalo médio será de 10 minutos entre Brás e Mauá e 30 minutos entre Mauá e Rio Grande da Serra.

Linha 12-Safira [Brás - Calmon Viana]

Domingo: das 4h até meia-noite, a circulação ficará interrompida entre as estações Brás e Calmon Viana, em razão de intervenções que abrangem equipamentos de via permanente, sistema de rede aérea e sinalização, além das obras de segregação de via feitas pela MRS. Para atender aos usuários, serão disponibilizados ônibus de conexão. A opção para os usuários no trecho entre as estações Brás e Tatuapé serão os trens do Expresso Leste. Haverá ônibus de conexão, nas seguintes estações:

Tatuapé a Itaim Paulista: ônibus com paradas para embarque e desembarque nas estações USP Leste e São Miguel Paulista.
Itaim Paulista a Poá: ônibus com paradas para embarque e desembarque nas estações Itaquaquecetuba e Aracaré.

As senhas para utilização dos ônibus de conexão deverão ser retiradas nas estações.

Em caso de dúvidas ou informações complementares, a CPTM coloca à disposição a Central de Atendimento ao Usuário, no telefone 0800- 0550121.

Homem se passa por maquinista no Rio, conduz trem e posta vídeo na web

Compartilhe
Thomas Wellington, de 26 anos, foi preso em São Paulo.
Dupla de menores que filmou também foi apreendida.

Um rapaz de 26 anos invadiu a oficina da Supervia em Deodoro, na Zona Oeste do Rio, e se passou por maquinista. Thomas Wellington dos Santos chegou a conduzir o trem, acompanhado de dois adolescentes. A dupla filmou a ação e postou na internet, como mostrou o RJTV de quinta-feira (25).

Todos eles conseguiram sair do trem sem ser vistos, depois que uma falha no sistema limpa-trilhos parou a composição. Por isso, os vagões não chegaram a trafegar na linha férrea, onde circulam os trens com os passageiros.

Para chegar aos três, policiais rastrearam redes sociais por quatro meses. No quarto de Thomas, foram encontrados objetos de companhias ferroviárias de vários estados. Thomas foi preso em Guarulhos, São Paulo, onde mora com os pais. Os menores foram apreendidos no Rio.

Thomas admitiu, em depoimento, que enganou a fiscalização da Supervia. Ele contou ainda que, para dar partida na composição, usou uma chave que teria conseguido em São Paulo em um trem do mesmo modelo.

A polícia informou que ele vai responder por furto, perigo de desastre ferroviário, dano ao patrimônio público e corrupção de menores.

G1

22 de setembro de 2014

Integração entre CPTM e ônibus em Mauá tem início

Compartilhe
Entrou ontem em operação a integração de transporte público de Mauá com a Linha 10-Turquesa da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). Ao longo do dia, funcionários da administração municipal orientavam os usuários que embarcavam ou saiam da estação ferroviária do Centro de Mauá, já que ainda havia muita desinformação da população em relação ao funcionamento do sistema.

No entanto, já havia quem utilizasse o cartão SIM (Sistema Integrado Mauá), por meio do qual o usuário terá desconto de R$ 0,50 por viagem. A economia chega a R$ 1 no trajeto de ida e volta. Isso porque, com o SIM, para fazer o percurso de ônibus municipal e trem da CPTM, desde que se faça a baldeação nessa estação, o usuário gasta R$ 5,50 (em vez de R$ 6). No retorno, a pessoa despende mais R$ 5,50, mas, nesse caso, é preciso adquirir o bilhete integração Mauá F-41 – já disponível em guichês da CPTM – e validar o tíquete, junto com o cartão, em um dos 12 pontos instalados na estação Centro, no município. Inicialmente, o sistema funcionará apenas nesse ponto, mas segundo o prefeito Donisete Braga (PT), a intenção é ampliar, no futuro, para as demais estações (Guapituba e Capuava).

Para a atendente Larissa Ferreira, 21 anos, que trabalha em Santo André e faz uso de ônibus e trem todos os dias, a integração a ajudará a economizar bastante. “É bem melhor, assim eu pago menos”, afirmou. A costureira Fátima Costa, 40, também aprovou. “Adorei a ideia, apesar que eu trabalho em casa, mas a gente nunca sabe quando vai precisar”, disse. “Qualquer economia é boa”, assinalou o pintor Emerson Oliveira, 38, que trabalha na Capital.

A equipe do Diário, que esteve ontem na estação Centro de Mauá, também ouviu algumas críticas e dúvidas em relação ao sistema. “Não é integral (o desconto), diminui só R$ 0,50”, reclamou o carpinteiro Antonio Cruz, 38, fazendo referência ao fato de que a baldeação do Metrô para o trem da CPTM, na Capital, não gera custo adicional ao usuário. Já Paula Regina Alves, 18, não sabia como funcionava e, se por ser estudante, poderia utilizar a integração. O cartão é gratuito e disponível a qualquer morador da cidade.

Para adquirir o bilhete eletrônico para fazer a integração, é preciso se dirigir à loja SIM, no terminal central, que funciona das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira, e levar RG, CPF e comprovante de endereço (é preciso ser morador de Mauá).

Diário do Grande ABC

Expresso Leste depende de obras

Compartilhe
Em maio de 2009, Mogi das Cruzes venceu uma luta árdua, encabeçada, inclusive, por O Diário, para contar com os modernos trens espanhóis, conhecidos de todos como Expresso Leste, equipados com ar-condicionado, música ambiente, conforto aos passageiros e rapidez. Na época, o então governador José Serra (PSDB) havia prometido implantar o Expresso, em todos os horários, paulatinamente. Seis anos depois, a Cidade ainda espera pelo serviço em sua totalidade de horários.

Serra lembrou, na ocasião, que, como o intervalo entre os trens do Expresso Leste cairia para três minutos, era essencial que Mogi construísse viadutos ou túneis para eliminar as cancelas existentes em Jundiapeba, Cavalheiro Nami Jafet, Campos Salles, Cabo Diogo Oliver e Dr. Deodato Wertheimer. “Caso contrário, o trânsito de veículos será prejudicado”, disse, em 2009.

Atualmente, o mogiano ainda espera pelos viadutos e passagens subterrâneas para, enfim, ver os famosos trens espanhóis circulando, exclusivamente, sobre a linha férrea que corta o Município.

“O que a gente quer não é mais do que a obrigação da CPTM, que ganha muito bem para isso, com as passagens nem tão baratas assim. Queremos conforto e rapidez. Queremos segurança e pontualidade. É isso que o povo espera do transporte público. Todo mundo fala que há carros demais nas ruas, mas é porque os trens e ônibus deixam a desejar”, comentou a autônoma Ana Cristina Aguiar, 45 anos, que reside em Jundiapeba e usa, todos os dias, os trens para trabalhar na Capital.

Já o auxiliar de enfermagem Claudio Nunes Andrade, 26 anos, tem e utiliza um carro, diariamente. “Eu não posso depender de ônibus e trem e até quando vou a São Paulo, mesmo para passear, vou de carro. O que me incomoda é ter de ficar parado nessas cancelas. Nós estamos em 2014 e ainda somos reféns disso. Demorou demais para saírem esses viadutos”, lamentou.

Questionada sobre a oferta dos trens mais modernos em todos os horários para Mogi das Cruzes, a CPTM garante que “está trabalhando para a ampliação do serviço do Expresso Leste de Guaianazes a Suzano durante todo o período comercial”, não mencionando a extensão até a Cidade. 

“Atualmente, o Expresso Leste opera de Luz a Guaianazes e nos períodos de vale são realizadas 24 viagens diretas entre as estações Luz e Estudantes, (12 em cada sentido)”, informou a assessoria da Companhia.

A estatal conta que para a ampliação do serviço até Suzano foram adquiridos nove trens novos. “Também estão em andamento obras que contemplam a modernização dos sistemas de sinalização, telecomunicações, energia, rede aérea, via permanente, além da reconstrução das estações Ferraz de Vasconcelos e Suzano”.

Segundo a CPTM, o Expresso Leste (Luz-Guaianazes) cumpre intervalos médios de 4 minutos nos horários de pico. O trecho transporta a média de 515 mil usuários por dia útil. Entre Guaianazes-Estudantes há intervalos médios de 8 minutos nos horários de pico e atendimento à média de 220 mil usuários por dia útil. Na estação Mogi das Cruzes, embarcam 12 mil usuários diariamente.

No fim da nota, a empresa diz que “as estações Mogi das Cruzes e Estudantes também serão reconstruídas”. “As obras serão financiadas com recursos orçamentários do Governo Federal, por meio do PAC da Mobilidade, e os editais para contratar as obras serão publicados tão logo os recursos sejam liberados. As novas estações terão plataformas cobertas, escadas rolantes e todos os itens de acessibilidade (elevadores, piso e rota táteis, comunicação em Braille, corrimãos e rampas adequadas). Também vão dispor de banheiros públicos comuns e de sanitários exclusivos para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Haverá passarela de transposição à via férrea, em área não-paga, aberta 24 horas e iluminada. Os novos prédios também contarão com nova infraestrutura dos sistemas elétricos, eletrônicos, hidráulicos, sonorização, iluminação geral e de emergência, entre outros”, promete a estatal, sem revelar, no entanto, quando essa obra, finalmente, terá início.



Candidatos prometem ampliar viagens

Todos os candidatos a governador do Estado de São Paulo assumiram um compromisso com Mogi das Cruzes de que irão melhorar o transporte público e implantar o Expresso Leste de forma integral.

Alexandre Padilha, do PT, afirmou que, se eleito, vai “implantar um forte programa de modernização da CPTM, visando sua transformação, no médio prazo, em metrô de superfície”. “As seis linhas que atendem a Região Metropolitana de São Paulo serão recuperadas, dando confiabilidade operacional e acabando com as panes que prejudicam diariamente milhões de passageiros. A população de Mogi vai poder contar com o Expresso Leste em todos os horários e também com vagões confortáveis, de qualidade em todas as linhas. Além disso, vamos modernizar as linhas da CPTM, com aquisição de trens novos, reforma e manutenção das vias, implantação de sinalização, recuperação, reforma e reconstrução das estações, garantindo a acessibilidade. Dentre nossas prioridades estão retomar o projeto e acelerar as obras para implantação do trem de Guarulhos (Linha 13-Jade), ligando a Linha 12-Safira da CPTM à futura estação Aeroporto Internacional de Guarulhos; acelerar o projeto e as obras para implantação do trem ligando Guarulhos ao ABC, com interligações nas Linhas 12-Safira, 11-Coral e 10-Turquesa, todas da CPTM, e na Linha 3-Vermelha do Metrô; entre outras”.

Já Geraldo Alckmin (PSDB), que quer a reeleição, disse que as estações Ferraz de Vasconcelos, Poá e Suzano da Linha 11-Coral estão sendo totalmente reformadas e modernizadas. A previsão é de entrega até o final deste ano. “Graças às reformas, todo o Alto Tietê será beneficiado, já que a partir do ano que vem, o Expresso Leste, que hoje chega até Guaianazes, vai até a Suzano. Com esta expansão e a chegada de novos trens para a linha 11, a partir de março de 2015, os horários do Expresso Leste serão gradativamente aumentados”.

O tucano disse, ainda, que “a licitação para contratação de obras para reformar e modernizar a estação de Mogi das Cruzes já está em andamento. A previsão é de que neste semestre seja conhecido o vencedor. O novo prédio será deslocado cerca de 60 metros da posição atual para a implantação de uma passagem subterrânea que vai beneficiar os usuários. A nova edificação terá plataforma central com 190 metros de extensão. Os usuários também serão beneficiados pela passarela de transposição da via férrea, aberta 24 horas, que permitirá o acesso ao terminal de ônibus municipal, que está ao lado da estação. O investimento previsto é de R$ 100 milhões”.

Gilberto Maringoni (PSOL) destacou que o governo “tem que enfrentar os interesses das empresas de ônibus e investir no transporte sobre trilhos, fazendo os trens da CPTM cortar todo o Estado de São Paulo”. “Para beneficiar Mogi das Cruzes nós devemos interligar os trens de São Paulo até São José dos Campos, passando por Mogi das Cruzes a cada 20 minutos. Investir na CPTM como empresa de transporte público e não com viés privado, ou seja, de acordo com o volume de passageiros”, pontuou.

Por outro lado, Gilberto Natalini (PV) prevê “fortes investimentos em metrô, trens suburbanos, VLT e trens regionais para Campinas, Sorocaba, Taubaté e Santos”. “O Expresso Leste foi concebido para servir nos horários de pico da linha 11 Coral, mas a demanda atual já exige o serviço em todos os horários. Além disso, é fundamental construir, em parceria com o Governo Federal, as obras do Ferroanel, que vai retirar boa parte dos trens de carga das linhas da CPTM”, salientou.

O candidato Laércio Benko (PHS), por outro lado, lembrou que “o Expresso Leste ainda não foi implantado na Cidade por depender da construção de três viadutos ou túneis” e se comprometeu a “buscar recursos para tirar do papel esses gargalos”.

Por fim, Paulo Skaf (PMDB) afirmou que “nosso projeto contempla a modernização das estações de Mogi das Cruzes e a eliminação dos cruzamentos em nível ao longo da Cidade. Vamos entregar a expansão do Expresso Leste até Suzano e, posteriormente, até Mogi das Cruzes”. (Sabrina Pacca)

O Diário de Mogi
As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.