27 de agosto de 2014

Furto de cabos prejudica a circulação da linha 11-Coral da CPTM

A extensão da linha 11-Coral (Guaianazes-Estudantes) da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) circula com velocidade reduzida na manhã desta quarta-feira (27), devido a ato de vandalismo. Segundo a assessoria de imprensa da empresa, o problema foi causado por furto de cabos.

 

Os trens operam com velocidade reduzida e maior tempo de parada entre as composições entre as estações Estudantes e Guaianazes.

 

Do R7

Ato de vandalismo prejudica circulação na Linha 11- Coral

Ato de vandalismo prejudica circulação na Linha 11- Coral

Trens circulam com velocidade reduzida entre Estudantes e Guaianazes. CPTM diz que suspeito foi detido com 20 metros de fios.

Um ato de vandalismo prejudica a circulação da Linha 11- Coral, de acordo com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), no início da manhã desta quarta-feira (27). A empresa informou que cabos foram furtados. Os trens circulam com velocidade reduzida e maior tempo de parada entre Estudantes e Guaianazes.

Por volta das 15h, técnicos ainda trabalhavam para reparar o problema. As plataformas ficaram lotadas por volta das 6h45, como mostrou o Bom Dia São Paulo.

Agentes da CPTM detiveram ainda durante a madrugada um homem que transportava 20 metros de fios que teriam sido retirados do sistema. O suspeito estava entre as estações Poá e Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo.
Ele foi levado para uma delegacia em Ferraz de Vasconcelos, onde um boletim de ocorrência de furto qualificado foi registrado.  De acordo com a empresa, o suspeito foi levado para o CDP de Suzano.

Metrô

No Metrô, os trens da Linha 3-Vermelha também circularam com velocidade reduzida por medida de precaução devido à chuva. Às 8h50, a circulação estava normalizada. A Linha 1- Azul também registrou lentidão, mas, por volta das 7h, o tráfego já estava normalizado, de acordo com a companhia.

G1

Grupo de jovens é agredido por seguranças da CPTM

Um grupo de 15 jovens estavam voltando de uma festa, por volta das 4h30 da manhã do último sábado (23), quando foram agredidos por vigilantes da CPTM. O caso ocorreu na Estação Primavera-Interlagos e foi registrado pela Delegacia da Barra Funda.

De acordo com Darlan Mendes, ele e os amigos estavam subindo para a plataforma quando a escada rolante da estação parou. Outro menino do grupo, Maurício, apertou um botão a fim de fazê-la funcionar.

No momento em que isto aconteceu, um vigilante da CPTM começou a xingar os jovens e, ao chegar na plataforma, dois vigilantes começaram a agredir 12 deles, entre meninos e meninas. Uma delas caiu da escada e outra teve um cassetete quebrado na perna.

Quando um vigilantes tentou ir para cima de uma menina, o restante do grupo tentou contê-lo. Ele acabou caindo na linha do trem

Segundo o relato de Darlan, ele foi procurar o responsável pela estação, porém, naquele momento, ele estava cochilando. Então, ele pediu ajuda para a SSO. Mais dois seguranças subiram para a plataforma, mas a agressão continuou. Uma das portas da estação foi quebrada.

Alguns dos jovens ligaram para a polícia, que foi ao local com quatro viaturas. Maurício afirma que os policiais estavam mais preocupados com danos materiais do que com os jovens. Eles aconselharam ao grupo que fossem registrar um Boletim de Ocorrência.

Os jovens, neste momento, estão na Delegacia da Barra Funda. De acordo com informações dadas por Darlan Mendes, eles devem fazer exame de corpo de delito para anexar ao B.O.

Até o momento da publicação, a CPTM não atendeu às ligações do DIÁRIO e nem respondeu ao e-mail para dar esclarecimentos sobre o caso.

Diário de SP

25 de agosto de 2014

Alckmin evita dar novo prazo para entrega de monotrilho atrasado

Governador disse que checaria dado e passaria 'direitinho' à reportagem

 

Adiada diversas vezes, a data da inauguração do primeiro trecho do monotrilho da Linha 15-Prata do Metrô de São Paulo segue indefinida. Questionado na manhã desta segunda-feira, 25, sobre quando o percurso será finalmente aberto ao público, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) não respondeu. "Eu vou checar e passo para você direitinho", disse o tucano ao ser questionado pelo Estado. O dado, contudo, não foi informado após o término do evento, uma coletiva de imprensa no centro de informações da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp)

 

A última promessa de seu governo era a de que o ramal abriria no sábado passado, o que não se concretizou.

 

A primeira promessa de Alckmin era entregar o monotrilho no ano passado. No fim de 2013, o próprio governador começou a divulgar que a obra estaria pronta no início deste ano. O prazo depois foi alterado para março, maio, junho e julho.

 

Na semana passada, o secretário estadual dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, havia cogitado abrir a Linha 15-Prata no sábado, 23. Mas na sexta-feira, 22, ele mesmo alterou a data, alegando que ainda faltava o recebimento de uma homologação internacional para o funcionamento dos trens do monotrilho.

 

Esse documento certifica a quantidade de horas de testes da composição exigidas antes do início de sua operação. Ainda segundo Fernandes, faltavam alguns ajustes a serem feitos no sistema.

 

Quando as Estações Vila Prudente e Oratório do monotrilho passarem a funcionar, estará inaugurada a sexta linha metroviária da capital paulista. O ramal ficará integralmente na zona leste da cidade. Quando a Linha 15 estiver pronta, terá 26,6 km e 18 estações, ligando a Vila Prudente à Cidade Tiradentes, ambas na zona leste. Ela custará R$ 6,4 bilhões. As obras na região começaram em 2010.

 

Estadão

24 de agosto de 2014

Paranapiacaba vira palco literário em setembro

Quem gosta de literatura não pode deixar de visitar a vila de Paranapiacaba, em setembro. Entre os dias 4 a 7, a antiga vila ferroviária sediará a 1ª Feira Literária do ABC, a Fliparanapiacaba. A programação é rica, extensa e vai homenagear Hilda Hilst, escritora por mais de 50 anos que faleceu em 2004. Mais de 50 convidados estão confirmados e deverão atuar em mesas de debates e palestras, oficinas de criação literária com certificação, contação de história, exposições fotográficas, lançamentos de livros, instalação sensorial; apresentação de vídeos; intervenções nas ruas; jogos lúdicos literários e muita música mesclada com literatura. Tudo de graça.

Para brindar a homenagem que a primeira edição prestará a Hilda Hilst, o trio formado por Giselle Maria (voz), Anette Camargo (piano) e Alexander Souza (piano) interpretará seus poemas musicados por Zeca Baleiro, dias 6 e 7, no Coreto Lyra. Natural de Jaú, a poetisa, dramaturga e ficcionista Hilda Hilst foi uma das principais escritoras das décadas de 1980 e 1990. "É uma das autoras que passeiam por todos os estilos da literatura, uma autora completa; que em 2014 completa 10 anos de sua morte, daí a homenagem", justifica Rosana Banharoli, jornalista e uma das coordenadoras da Fliparanapiacaba.

A 1ª Feira Literária do ABC é para o público de todas as idades. Assim, nos dias 5 e 6, terá Orquestra Infanto-Juvenil Locomotiva, com mais de 50 crianças, além da contação de histórias e apresentações de peças teatrais, entre elas O mundo imaginário,com o grupo Balaio D' Arte, e Mistério dos 4Ps, com o Teatro do Tomé. Além disso, todos os dias os autores convidados irão comercializar seus livros, em bancas que serão montadas no local.

Uma das principais atrações é a mesa literária de inclusão, sábado, dia 6, às 15h45, no Espaço Lyra, com participação de Kiusam de Oliveira, Simone Pedersen e Ana Paula Silva, todos da Fundação Doriva Nowill. A ideia da mesa é promover um debate sobre a inclusão social por meio da literatura. Esta e outras mesas inclusivas serão legendadas e também traduzidas em libras, em tempo real.

No Coreto Lyra, a banda Suidara Rock do Sertão vai inovar na animação, com show literomusical. A banda tocará músicas com poesias, com estilo de rock e ainda lembrando um pouco do sertão. "Será algo totalmente diferente", comenta Rosana.

Público diversificado

No sábado e domingo, a programação vai ser ainda mais recheada. Segundo Rosana, o festival mesclará apresentações de autores nacionais e da região. A expectativa é atrair visitantes de todo o Estado: de 1 m Il a 1,5 mil pessoas na quinta e sexta-feira; e no final de semana até 7 mil. "Nós focamos a princípio nos estudantes de Letras, mas foi uma surpresa sermos procurados para fazer parceria com a Universidade Federal do ABC, e com isso incluir alunos de Engenharia e Psicologia também no evento", comenta.

Rosana Banharoli comenta que o festival literário será uma grande oportunidade para o público conhecer grandes autores da literatura nacional e também os autores locais apresentarem seu trabalho para a população daqui. A Fliparanapiacaba conta com o apoio cultural de diversas instituições, como a Poiesis: Oficinas Culturais; Núcleo de Apoio ao Escritor; Casa das Rosas, Museu da Língua Portuguesa; OAB 38ª Subseção Santo André; CPTM; Hussardos Clube Literário; STN Caption; Instituto Hilda Hilst; Fundação Dorina Nowill e outros.

Fliparanapiacaba
De 4 a 7 de setembro,
Das 10 às 17h
Gratuito
Programação - http://fliparanapiacaba2014.wix.com/fliparanapiacaba
Repórter Diário 
As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.