GREVE

...

22 de maio de 2015

Previsto para 2017, trem de Sorocaba a SP não tem data para sair do papel

Compartilhe

Órgãos divergem sobre andamento de projeto e evitam novas datas. Ao G1, ANTT diz que o assunto sequer passou pela a agência.

As obras do trem regional que vai ligar Sorocaba (SP) a São Paulo e que deveriam começar neste ano ainda não tiveram início. A previsão era de que o novo serviço de transporte, que não saiu do papel, começasse a funcionar em 2017, mas os órgãos questionados pelo G1 evitam divulgar novos prazos. 

Anunciado pelo governo estadual em 2013, o projeto da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) prevê um investimento de R$ 4 bilhões na região, com a construção de trilhos e pontos de embarque em Sorocaba e São Roque (SP). Na época, duas empresas estariam interessadas em administrar o serviço. No entanto, de acordo com a CPTM, a Manifestação de Interesse da Iniciativa Privada (MIP) das duas empresas está em análise pelo Conselho Gestor das Parcerias Público Privadas (PPP´s) do governo estadual.

O documento envolve a construção de infraestrutura, implantação de equipamentos e sistemas e compra dos trens para operar uma rede integrada de linhas de trens, abrangendo, além de Sorocaba, as cidades Santos, Mauá, São Caetano do Sul, Santo André, Jundiaí, campinas, Americana, São José dos Campos e Taubaté.

Sem prazos

O conselho, de responsabilidade da Secretaria de Governo, explica que o Estado aguarda um retorno da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para dar continuidade ao projeto. Segundo o estado, a autorização é necessária porque o trem regional passará, em grande parte do trajeto, ao lado de trens de cargas, que estão na faixa de domínio do governo federal.

"Sem a autorização, o Estado não pode lançar o edital, em análise pelo Conselho Gestor das PPP’s. A documentação foi protocolada em abril de 2014, em Brasília", afirma o conselho. Já a ANTT diz que o assunto sequer passou pela a agência. “Não recebemos nada sobre esse projeto”, informou a assessoria de imprensa do órgão.

Os atrasos no projeto do trem regional ainda geram reflexos nos projetos do governo muncipal, já que algumas propostas da prefeitura aguardam o início das obras estaduais. De acordo com a Urbes, responsável pelos transportes na cidade, a expectativa é que um futuro Terminal Intermodal, contemplando uma nova rodoviária jundo com o terminal ferroviário, esteja contemplado no projeto e vinculado com a implantação do trem regional. "Outros projetos que deverão vincular-se ao projeto é a adequação da antiga Estação Ferroviária e estudos de viabilidade de um futuro sistema de VLT compartilhado no mesmo leito ferroviário", conclui a nota.

Projeto

Quando concluído, o trem regional entre São Paulo e Sorocaba deve ter pelo menos três pontos de embarque e desembarque dos passageiros construídos na região. A viagem de Sorocaba até a capital seria feita em 51 minutos, com saídas a cada 15 minutos. As estações ficarão no Centro, em Brigadeiro Tobias e a possibilidade de um terminal em São Roque. 

O percurso será de 92 quilômetros até a capital paulista. A parada final ainda não está definida e poderá ser nas estações Pinheiros ou Água Branca. A linha férrea será construída perto das rodovias Raposo Tavares e Castello Branco.

Por Jomar Bellini
Do G1 Sorocaba e Jundiaí

Obras de modernização alteram circulação dos trens da CPTM

Compartilhe

Neste fim de semana, 23 e 24 de maio, a CPTM prosseguirá com as obras de modernização em suas linhas

 

​Neste fim de semana, 23 e 24 de maio, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) prosseguirá com as obras de modernização em suas linhas. Por isso, os trens circularão com maiores intervalos em trechos e horários específicos. Confira a programação e antecipe sua viagem:

 

Linha 7-Rubi (Luz – Francisco Morato – Jundiaí)

 

Sábado: a partir das 23h, as composições com destino a Estação da Luz não vão parar na Estação Piqueri. O usuário deverá seguir viagem para desembarcar na Estação Lapa, onde fará transferência para outro trem no sentido Francisco Morato, a fim de retornar a Estação Piqueri. O intervalo médio será de 10 minutos em toda a linha.

 

Domingo: das 4h à meia-noite, a circulação de trens ficará interrompida entre as estações Palmeiras-Barra Funda e Caieiras, devido as obras no sistema de rede aérea. Para atender aos usuários, serão disponibilizados ônibus de conexão, com paradas intermediárias para embarque e desembarque na Estação Pirituba. As senhas para utilização dos ônibus de conexão deverão ser retiradas no interior das estações. 

 

Das 8h às 20h, serão realizados serviços de infraestrutura na Estação da Luz. O intervalo médio será de 21 minutos entre as estações Luz e Palmeiras-Barra Funda, e 25 minutos entre Caieiras e Jundiaí.

 

Linha 8-Diamante (Júlio Prestes – Itapevi – Amador Bueno)

 

Domingo: das 4h à meia-noite, haverá intervenções no sistema de rede aérea entre as estações Carapicuíba e Antônio João. O intervalo médio será de 15 minutos entre as estações Júlio Prestes e Itapevi.

 

Linha 9-Esmeralda (Osasco – Grajaú)

 

Domingo: das 9h às 19h, os trabalhos ocorrerão nos equipamentos de via permanente entre as estações Ceasa e Pinheiros. O intervalo médio será de 20 minutos em toda a linha.

 

A partir das 23h, os trabalhos estarão concentrados nos equipamentos de sinalização na região da Estação Santo Amaro. O intervalo médio será de 15 minutos em toda a linha.

 

Linha 10-Turquesa (Brás – Rio Grande da Serra)

 

Domingo: das 8h às 17h, serão realizados serviços nos equipamentos de via permanente entre as estações Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. O intervalo médio será de 10 minutos entre as estações Brás e Mauá, e 30 minutos entre Mauá e Rio Grande da Serra.

 

Linha 11-Coral / Extensão (Guaianases – Estudantes)

 

Domingo: das 4h à meia-noite, haverá obras de infraestrutura na região da nova Estação Ferraz de Vasconcelos. O intervalo médio será de 15 minutos entre as estações Guaianases e Estudantes.

 

Linha 12-Safira (Brás – Calmon Viana)

 

Domingo: das 4h à meia-noite, a circulação de trens ficará interrompida em toda a linha, em razão das obras no sistema de rede aérea. Para atender aos usuários, serão disponibilizados ônibus de conexão, que percorrerão os seguintes itinerários.

 

Tatuapé – Itaim Paulista: os ônibus farão paradas intermediárias para embarque e desembarque nas estações USP Leste e São Miguel Paulista.

Itaim Paulista – Calmon Viana: os ônibus farão paradas intermediárias para embarque e desembarque nas estações Itaquaquecetuba e Aracaré.

Brás – Tatuapé: os usuários deverão utilizar os trens do Expresso Leste, na Linha 11-Coral.

 

As senhas para utilização dos ônibus deverão ser retiradas na área interna das estações.

 

Desafio: a CPTM ressalta que executar as obras de modernização, mantendo simultaneamente o atendimento aos usuários, é um grande desafio. As ações exigem medidas como promover intervenções em horários de menor movimentação de passageiros aos finais de semana, feriados e madrugadas.

 

Em caso de dúvidas ou informações complementares, a CPTM coloca à disposição o Serviço de Atendimento ao Usuário: 0800 055 0121.

TRT determina 100% do efetivo de metroviários em horário de pico

Compartilhe

Categoria decidiu por greve nesta quarta-feira e pede maior reajuste salarial além do que foi proposto pela Companhia do Metropolitano

 

O Tribunal Regional do Trabalho da 2.ª Região (TRT-2) determinou que 100% dos metroviários atuem nos horários de pico - das 6 horas às 9 horas e das 16 horas às 19 horas - e 70% nos demais horários, caso se confirme a greve marcada para quarta-feira. Os ferroviários também marcaram paralisação para a data. As greves podem prejudicar até 7,5 milhões de pessoas.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou nesta quinta-feira, 21, que ainda negocia para evitar a paralisação dos funcionários do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). “A greve só prejudica a população e quem mais precisa para trabalhar. Faremos o possível para não ter greve.” Segundo ele, os metroviários tiveram reajuste real nos últimos quatro anos, e a média salarial é de R$ 5.237. “O Estado já está negociando. Todo mundo sabe da dificuldade fiscal hoje no Brasil.”

 

Os metroviários criticam a proposta da estatal, que ofereceu reajuste de 7,21%. A categoria pede mais de 17%, entre compensação de inflação e aumento real. Já os ferroviários querem 7,89% para cobrir a inflação e outros 10% de aumento real. A empresa ofereceu 6,65%.

 

O governador garantiu que haverá transporte mesmo com uma eventual paralisação. “Já foi determinado pela Justiça”, disse, em referência à decisão, que estipulou em R$ 100 mil a multa diária por descumprimento. Só que a medida não atinge os ferroviários.

Segurança. A decisão da Justiça trabalhista atendeu à solicitação do Metrô, que alegou que o sindicato decidiu pela greve antes do término das negociações e estaria participando de ações que descumprem normas de segurança. Na decisão, o TRT considerou ainda o caráter essencial dos serviços, além de ter ponderado que a motivação da greve não envolveria atraso de salário nem descumprimento de obrigação contratual.

 

Caso ocorra interrupção nos serviços, a multa deverá ser revertida para alguma entidade a ser indicada pelo TRT.

 

Estadão

21 de maio de 2015

Faremos o possível para não ter greve do Metrô, diz Alckmin

Compartilhe

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou nesta quinta-feira, 21, que negocia para evitar uma paralisação dos funcionários do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). "A greve só prejudica a população e quem mais precisa para trabalhar. Faremos o possível para não ter greve", disse Alckmin.

Os trens das duas companhias podem parar por um dia na próxima quarta-feira, 27, após decisão em assembleia dos sindicatos. Eles ainda não decidiram se haverá greve.

Alckmin afirmou que a categoria teve reajuste real nos últimos quatro anos e que a média salarial da categoria é de R$ 5.237. "O Metrô e a CPTM estão permanentemente negociando e já fizeram uma oferta em relação à reposição inflacionária", disse.

O governador garantiu que haverá transporte mesmo com uma eventual paralisação. "Já foi determinado pela Justiça que no horário de pico tem de garantir 100% e fora (do horário de pico), 70% da frota."

Os ferroviários pleiteiam reajuste de 7,89% para cobrir a inflação e outros 10% de aumento real. A CPTM ofereceu 6,65%. "O Estado já está negociando. Todo mundo sabe da dificuldade fiscal hoje no Brasil inteiro", disse Alckmin.

Agência Estadão

Metrô terá efetivo total em horários de pico durante greve

Compartilhe

O Tribunal Regional do Trabalho da 2.ª Região (TRT-2) determinou que os metroviários respeitem o funcionamento de um contingente mínimo durante a greve programada para ocorrer a partir da próxima quarta-feira, 27. 

A decisão da Justiça trabalhista atendeu a pedido cautelar feito pela Companhia do Metropolitano e prevê que 100% dos trabalhadores atuem nos horários de pico - das 6h às 9h e das 16h às 19h - e 70% nos demais horários.

A ordem partiu do desembargador Mauro Vignotto, que apreciou o pedido do metrô nesta quinta-feira, 21. O magistrado estipulou em R$ 100 mil a multa diária em caso de descumprimento da decisão.

Na ação, o metrô alegou que os sindicatos decidiram pela greve antes do término das negociações e estariam participando de ações que descumprem normas de segurança da empresa.

Na decisão, o desembargador considerou o caráter essencial dos serviços, além de ter ponderado que a motivação da greve anunciada não envolveria mora salarial nem descumprimento de obrigação contratual pelo Metrô. Caso ocorra interrupção nos serviços, a multa deverá ser revertida a alguma entidade a ser indicada pelo TRT-2.

Reajuste

Os metroviários decidiram pela greve na noite desta quarta-feira, 20, em assembleia da categoria. Os trabalhadores criticam a proposta de reajuste salarial apresentada pela Companhia, que é de 7,21%. A categoria pede por mais de 17%, entre compensação de inflação e aumento real.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou nesta quinta que negocia para evitar uma paralisação dos funcionários do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). "A greve só prejudica a população e quem mais precisa para trabalhar. Faremos o possível para não ter greve", disse.

Segundo Alckmin, a categoria teve reajuste real nos últimos quatro anos e que a média salarial da categoria é de R$ 5.237. "O Metrô e a CPTM estão permanentemente negociando e já fizeram uma oferta em relação à reposição inflacionária", disse.

O TRT informou que a determinação de frota mínima circulando não atinge os ferroviários, que também optaram por greve na mesma data. Nova assembleias da categoria estão programadas para a véspera da paralisação, na terça-feira ,26.

EXAME

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h.
Funcionamento das estações: das 4h às 00h (segunda a sexta e domingos) e das 4h à 1h (sábados)
.
OBS: último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.