24 de outubro de 2014

Metrô de SP demite de novo 10 funcionários grevistas

Compartilhe

O Metrô de São Paulo  demitiu novamente dez funcionários que participaram da greve  de junho, uma das maiores da história dos metroviários.

As rescisões ocorreram na quarta-feira, 22, e na quinta-feira, 23, - entre os demitidos há seguranças, operadores de trem e supervisores. Esses empregados haviam sido readmitidos no início de setembro após uma liminar da Justiça do Trabalho em seu favor.

O Sindicato dos Metroviários já entrou com recurso para tentar reverter a decisão concedida pela desembargadora Iara Ramires da Silva de Castro.

Para ela, a reintegração foi dada antes da audiência inaugural, o que teria feito o Metrô não ter tido tempo para ampla defesa. A apreciação do caso está prevista para ser retomada em novembro no Tribunal Regional do Trabalho da 2.ª Região (TRT-2).

Em decisão publicada em agosto, o juiz do Trabalho Thiago Melosi Sória, da 34.ª Vara do TRT-2, entendeu que "houve aparente vício formal na prática dos atos das dispensas e que as provas produzidas pela ré (o Metrô de São Paulo) ainda neste momento inicial do processo não revelam a prática das faltas graves atribuídas aos empregados dispensados".

Outros 23 funcionários readmitidos por meio de outro processo continuam trabalhando na empresa.

De acordo com o Metrô, os demitidos - que integram um grupo de 42 pessoas, duas das quais posteriormente reabsorvidas pela própria empresa - se envolveram em quebra-quebra na Estação Ana Rosa, quando a Tropa de Choque da Polícia Militar invadiu o local para dispensar os manifestantes. A força policial fez uso de cassetetes e bombas.

Além disso, o Metrô alegou que funcionários haviam impedido o fechamento das portas de um trem na Estação Tatuapé, durante a greve.

Mas imagens de câmeras de segurança da própria empresa revelam, de acordo com o texto da primeira decisão judicial, que os trabalhadores, embora "estivessem na plataforma, não aparecem impedindo o fechamento das portas".

A advogado dos metroviários, Eliana Lúcia Ferreira, disse ontem que os dez funcionários passam a ficar sem vínculos com a empresa.

"E isso é contraditório, porque o Metrô está precisando de gente. Do ponto de vista do dinheiro público, é até mais correto que essas pessoas ficassem. Porque se ao fim do processo a Justiça determinar que os funcionários estão corretos, como já ocorreu, o Metrô terá que pagar os salários de todo o período, com os juros. É melhor deixarem as pessoas trabalharem."

Em um documento enviado aos dez trabalhadores, o Metrô pede que devolvam crachás e uniformes. O sindicato acusa o governo Geraldo Alckmin (PSDB) de perseguição política, já que a maioria dos demitidos eram ativos representantes da entidade, como diretores.

A categoria informa que nunca foram apresentadas provas concretas que indicassem a participação dessas pessoas, especificamente, nos atos de vandalismo.

Um dos dez funcionários novamente desligados do Metrô disse que não sabe o que acontecerá com ele e seus colegas, mas que o Metrô tentou impedi-los de usar um broche da campanha da readmissão dos demais metroviários demitidos enquanto estavam trabalhando.

Por meio de nota, o Metrô de São Paulo informou apenas que TRT "cassou (suspendeu) a decisão judicial de 1.ª instância que determinou a reintegração de 10 empregados demitidos em 9 de junho deste ano" e que, "dessa forma, está mantido o desligamento dos funcionários".

Exame

23 de outubro de 2014

Estação Fradique Coutinho será entregue em 20 dias

Compartilhe
Nova estação da Linha 4 está pronta desde o fim de outubro e vai entrar em operação em novembro

Com a inauguração da Estação Fradique, as duas que faltam ficam para 2015

A Estação Fradique Coutinho, da Linha 4-Amarela do Metrô, será inaugurada nas primeiras semanas de novembro. A promessa foi feita na terça-feira (21) pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), durante a entrega de equipamentos na Estação São Miguel, da CPTM.

“No máximo em duas semanas e meia ela estará em funcionamento”, garantiu Alckmin. Esta será a primeira estação entregue na segunda fase da Linha Amarela, em funcionamento desde 2010.

Com a abertura da Fradique Coutinho, que fica na Zona Oeste da cidade, o trecho, que começa no Butantã, passa por Pinheiros, Faria Lima, Paulista, República e termina na Luz, terá sete estações em operação.

A estação Fradique Coutinho fica entre as paradas Faria Lima e Paulista. A inauguração estava marcada para 25 de setembro, mas foi adiada pois ainda havia obras a serem concluídas.

No último dia 7, a licença ambiental para a operação foi emitida pela Cetesb (companhia ambiental do estado).

As estações Oscar Freire e Mackenzie-Higienópolis, que também estão atrasadas e já deveriam estar abertas, ficarão mesmo para 2015. As paradas São Paulo/Morumbi e Vila Sônia estão em obras.

CPTM/ O governador entregou na terça-feira um bicicletário e o acesso norte da Estação São Miguel, da Linha 12-Safira da CPTM. O acesso é uma passarela que transpõe os dois lados da ferrovia, ligando o Jardim Lapenna à Praça do Forró, em São Miguel, na Zona Leste. “Essa travessia ficará aberta 24 horas por dia. Mesmo quando os trens não estiverem em funcionamento, os moradores poderão fazer esse cruzamento em segurança. As pessoas não ficarão mais ilhadas”, afirmou Alckmin.

O investimento do governo estadual para a reforma da estação foi de R$ 52 milhões. Segundo a CPTM, 35 mil pessoas passam diariamente pelo local. Hoje, a companhia receberá dois novos trens para operar na linha. As composições têm oito vagões contínuos, todos com ar-condicionado e automatizados. “Estamos modernizando a CPTM”, completou Alckmin.

O bicicletário da estação tem capacidade para 210 bicicletas. Os usuários da CPTM vão poder guardar as bikes no local para continuar a viagem de trem. O espaço terá segurança durante todo o tempo em que estiver aberto para evitar roubos e furtos. Esse era um pedido antigo dos moradores da região, que não tinham onde deixar as bicicletas quando iam usar o transporte público.

Por: Larissa Quintino
Especial para o DIÁRIO de São Paulo

Estação Fradique Coutinho tem novo atraso e deve funcionar em novembro

Compartilhe
Inicialmente, a estação do Metrô seria entregue em setembro.
Atrasos são decorrentes do licenciamento ambiental, diz Metrô.

A operação comercial da Estação Fradique Coutinho, da Linha 4-Amarela do Metrô de São Paulo , vai demorar mais um mês para começar. O Metrô informou, na manhã desta quinta-feira (23), que os trens devem começar a operar no mês de novembro.

A previsão inicial, informada em 19 de agosto pelo secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, era de que a estação seria inaugurada em 25 de setembro . Porém, na data, a assessoria de imprensa do Metrô confirmou atraso, dizendo que a operação começaria em outubro . Agora, a entrega foi adiada novamente.

Há ainda outras duas estações, que fazem parte da segunda fase de inaugurações na linha, que ainda estão em obras. As estações Oscar Freire e Higienópolis-Mackenzie, segundo a companhia, devem ter a fase de obras civis concluída até o fim de 2014. Não foi informada, porém, a data de início da operação comercial.

Em 19 de agosto, o secretário de Transportes havia dito que a estação Oscar Freire deveria ser entregue no fim deste ano, e a Estação Higienópolis, até março de 2015.

O Metrô informou, por meio de nota, que as alterações no cronograma inicial das obras foram "decorrentes, principalmente, ao licenciamento ambiental, autorização de ocupação de viários e retirada de interferências junto às concessionárias de serviços públicos".

Na mesma nota, o Metrô diz que "há ainda alguns atrasos na execução das obras civis, decorrentes de tratamento de solo devido à grande presença de água na estação Higienópolis-Mackenzie ia proximidade de edificação junto à estação Oscar Freire".

As estações Fradique Coutinho, Oscar Freire e Higienópolis ficam no trecho da Linha 4-Amarela e estão localizadas entre a Praça da República e a Estação Pinheiros.

G1

Linhas 8 e 9 da CPTM circulam com velocidade reduzida nesta quinta

Compartilhe

Uma falha no sistema de energia prejudica a Linha 8-Diamante.

Na Linha 9-Esmeralda, um trem apresentou problema.

 

As linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), circulam com velocidade reduzida no início da manhã desta quinta-feira (23). A linha 9 apresentou um problema em uma composição por volta das 4h30m o que interrompeu a circulação dos trens entre Presidente Altino e Osasco. Às 8h, o problema permanecia.

 

Quiser chegar a Osasco deve acessar a Linha 8-Diamante, que está com a velocidade reduzida. Na linha 8, a circulação está prejudicada entre as estações Júlio Prestes e Itapevi devido a uma falha no sistema de energia.

Passageiros relataram que os vagões dos trens estavam lotados, segundo o Bom Dia São Paulo.

 

G1

21 de outubro de 2014

Estação São Miguel Paulista da CPTM recebe novo acesso e bicicletário

Compartilhe
Entrada pelo lado norte facilita passagem ao polo comercial e a serviços públicos da região

O novo acesso à estação São Miguel Paulista da Linha 12-Safira foi entregue nesta terça-feira, 21, pelo governador Geraldo Alckmin. O lado norte vai interligar o bairro Jardim Lapenna à estação e aproximar o polo comercial e serviços públicos da região, como o Centro de Referência do Idoso, o Hospital e Maternidade São Miguel, a Subprefeitura, postos bancários e igrejas.

"É uma estação novinha, com escadas rolantes, elevadores, toda acessibilidade para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida", disse Alckmin, que também entregou um bicicletário para a estação com capacidade para 210 bicicletas. O governador ainda destacou o funcionamento da passarela 24 horas por dia, facilitando o trajeto da população. Atualmente, circulam pela São Miguel Paulista cerca de 30 mil pessoas por dia útil.  


Entregue em agosto de 2013, a estação valorizou a região e aumentou a atratividade para a instalação de equipamentos públicos, de prestação serviços e revitalização do comércio. "É uma grande ganho do ponto de vista urbano, do ponto de vista da integração das duas margens da ferrovia, para o comércio e para melhorar a qualidade de vida da população", acrescentou o governador.


Do Portal do Governo do Estado
As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.